Qualidade da combustão em esquentadores

A maioria das pessoas que possuem esquentadores não reparam no tipo de combustão que realizam, apenas se preocupam com o desempenho dos mesmos, quando avariam, a conta do gás é alta ou quando libertam algum “cheiro esquisito”. Tal falta de inspecção deste tipo de equipamentos pode levar a não só um desgaste maior do esquentador e aumento de consumo, mas também a consequências nefastas para a saúde.

Pois os equipamentos a gás têm de cumprir um série de requisitos de forma a serem considerados seguros. Um dos principais requisitos (entre vários outros) é apresentarem boa qualidade de combustão.

Ou seja, uma combustão boa ou completa é quando mesma apresenta uma chama curta e azulada e dela resulta baixa emissão de monóxido de carbono (CO) e óxidos de azoto (NOx). Enquanto que uma má combustão, ou combustão incompleta apresenta uma chama longa e alaranjada e dela resulta uma elevada emissão de monóxido de carbono (CO) e óxidos de azoto (NOx). Este gases são altamente tóxicos e contribuem para a formação de “chuvas ácidas”.

Portanto, quando ocorre combustão incompleta (má combustão) no nosso esquentador liberta em grandes quantidades CO e NOx, estes tóxicos, que são, afectam directamente a nossa saúde.

Se verificar que o seu esquentador apresenta uma chama de cor alaranjada, um “cheiro esquisito” ou alguma avaria não hesite em nos contactar pelo 220 925 926 ou pelo 934 857 894. Apresentamos uma equipa técnica credenciada pela Entidade de Energia e Geologia, perfeitamente apta para realizar assistência a esquentadores.

Efeitos do CO e NOx na saúde

Se sofrermos inalação de níveis relativamente baixos de monóxido de carbono e óxidos de azoto, podemos sentir ligeiras náuseas e tonturas. Mas quando os níveis são um pouco mais elevados podemos apresentar confusão mental, desmaios, perda do controle muscular, perda de consciência, dor de cabeça, sonolência e vómitos. Uma simples chama laranja no nosso esquentador apresenta uma séria ameaça à nossa saúde.

Importância e Critérios de Manutenção a Esquentadores

Os meses mais perigosos para intoxicação por monóxido de carbono são os meses de Inverno, porque temos a maioria das janelas e portas fechadas.

Portanto a manutenção preventiva periódica ou revisão deve ser executada antes dos meses de Inverno, de forma a evitar a inalação de substâncias tóxica, bem como garantir um desempenho perfeito do esquentador nos meses mais frios (meses em que solicita mais água quente).

Na manutenção periódica do nosso esquentadorAnalise de Combustão (ou caldeira), o técnico credenciado deverá ter uma ferramenta para medição de gases (monóxido de carbono), em que os valores medidos ditarão se o equipamento se encontra a realizar uma combustão com qualidade. Os valores obtidos são classificados da seguinte forma:

  • 0-500 ppm- esquentador ou caldeira perfeitos;
  • 500 a 1000 ppm- indicação de que esquentador ou caldeira está em mau estado;
  • Acima de 1.000 ppm- esquentador ou caldeira deve ser selado até que seja reparado;

Para além da análise CO, o equipamento medidor de gases verificar também:

  • Percentagem de O2 nos produtos de combustão.
  • Temperatura dos produtos da combustão.
  • Percentagem de CO corrigido.

E para além destas medidas, o técnico responsável pela execução da revisão deverá verificar o CO do ambiente. O último não deve ultrapassar as 50 ppm.

A combustão sem qualidade é silenciosa, danificando lentamente a sua saúde, diminuindo o “dinheiro do seu bolso” e a esperança média de vida do seu esquentador. Contacte o nosso serviço especializado na assistência e manutenção de esquentadores e não se irá arrepender.

CategoryDicas

© 2016 POLITÉC ASSISTÊNCIA CALDEIRAS E ESQUENTADORES
DE WARMINGFIX LDA.
NIPC: 513246347
POLITICAS PRIVACIDADE

warmingfix-logo

RUA DA BOAVISTA 355
4050-107 PORTO
TELF: 220925926